Quem é Bernadeth Martins

postado em: QUEM É QUEM | 0
Foto: EdmundoCine

 

Bernardeth de Fátima Silva Martins nasceu em Belo Horizonte, Minas Gerais, no dia 05 de junho de 1960, é Graduada em Administração de Empresas pela Associação do Ensino Unificado do Distrito Federal – AEUDF.

Filha mais velha de três irmãos, mas desde que seus pais se casaram já levaram com eles mais quatro irmãos de sua mãe. Com um total de nove pessoas no lar e devido à grande dificuldade financeira familiar naquela época, desde criança arcou com várias responsabilidades: estudava, ajudava nos afazeres de casa, aprendeu a costurar aos nove anos para ajudar a sua mãe que tinha como renda a costura para ajudar com as despesas domésticas. Esse caminho a ajudou a ver a vida de uma forma mais realista e pronta para enfrentar quaisquer obstáculos que aparecessem em seu caminho, sempre com muita dignidade, ética, moral e responsabilidade.

Em 1975 veio com a família para Brasília, devido à transferência de trabalho de seu pai, e, desde então, começou a traçar o seu destino profissional.

Em 1979, fez um Curso de Secretariado e de Taquigrafia no SENAC e por ter sido a primeira da turma em ambos os cursos, o SENAC lhe indicou para ocupar o posto de Secretária em três importantes locais de trabalho: Coca Cola; Nestlé e Organização Internacional do Trabalho (OIT), uma das Agências Especializadas das Nações Unidas (ONU). Como o seu amor pela ONU sempre foi imenso, optou pela OIT e fez a sua carreira profissional dentro daquele Organismo, o seu primeiro e único emprego.

Em março de 1980, começou a trabalhar na OIT como Secretária de Projeto; foi promovida a Secretária do Diretor Adjunto; foi selecionada para ocupar o posto de Assistente de Programação, e finalmente, através de um concurso interno/externo foi selecionada para o posto de Oficial de Finanças, Administração e de Recursos Humanos da OIT no Brasil; e, junto à esse novo desafio, arcou com as diversas tarefas e responsabilidades que o posto requeria.

É trilingue, tem um Diploma de Proficiência em Espanhol das Nações Unidas, tornando esse, o seu segundo idioma fluente; e o terceiro, inglês.

Recebeu vários méritos dentro da OIT, em reconhecimento à sua total dedicação e lealdade à Organização. Durante 15 anos foi Presidente do Sindicato do Pessoal Local da OIT no Brasil, e, por dois anos, Delegada Regional do Sindicato de Pessoal para as Américas e Caribe. Dentro da sua função como Oficial de Finanças, Administração e de Recursos Humanos, fez várias missões fora do Brasil, e teve a oportunidade de conhecer diversas culturas pelo mundo e, principalmente, dentro do Brasil, aonde as discriminações de gênero e raça fazem parte dos padrões de desigualdade social fazendo com que mulheres e negros enfrentem barreiras adicionais para a superação da pobreza e para o acesso a um trabalho decente.

Ao trabalhar durante 32 anos na OIT, sempre teve em seu sangue a luta pela igualdade social, a promoção de oportunidades para que homens e mulheres possam ter acesso a um trabalho decente e produtivo, em condições de liberdade, equidade, segurança e dignidade.

Ao se aposentar da OIT, em 2012, mudou o seu ramo de atividade, e tornou-se empresária. Hoje é proprietária da Loja Cirandinha, do seguimento de roupas infantis.

Em 2014 foi convidada para compor a chapa da Diretoria do Sindicato do Comércio Varejista do Distrito Federal (Sindivarejista), como Suplente do Conselho Fiscal. Em 2018, foi reeleita com a nova Diretoria, agora, como Diretora Administrativa, cargo que lhe dá a honra em dizer que é a primeira mulher a ocupar um posto de tamanha importância dentro daquele Sindicato.

Além de representar o Sindivarejista em várias reuniões, foi indicada para participar: (i) do Conselho de Limpeza Urbana (CONLURB) do Serviço de Limpeza Urbana do Distrito Federal; (ii) da Câmara Temática “Educação como Plataforma para o Desenvolvimento do Distrito Federal do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do Distrito Federal; e (iii) da Câmara Técnica do Vestuário e Moda e da Câmara Técnica do Comércio e Serviço do Conselho de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal (CODESE).

Saiu da ONU, mas a ONU não saiu de seu coração. Participa de vários grupos em prol dos direitos da Mulher e da Criança, tais como: Mulheres do Brasil, Mulheres de Sucesso, Associação das Mulheres que Amam Brasília, Associação Civil Movimento Maria Cláudia Pela Paz, Instituto Formiguinhas do Bem do Brasil e outros. Através desses grupos, participa de várias ações ajudando, não somente às mulheres e crianças, e sim os que mais necessitam. Em 2016 promoveu o primeiro desfile infantil realizado na Bienal do Livro, em Brasília. Durante a noite de autógrafos da autora Giulieny Matos convidou 50 alunos da Escola Classe da Ceilândia para terem uma tarde de glamour e realizarem o sonho de desfilar em uma passarela.

Através de Convênio com o Movimento Comunitário do Jardim Botânico, participou da Feira Ambiental, JB Solidário e outras campanhas e reuniões promovidas por aquele Movimento.

Participou de encontros para lutar por melhorias ao comércio do Jardim Botânico, organizou reuniões entre a comunidade e funcionários do Governo do Distrito Federal, assim como do Sindivarejista, para tratar de assuntos importantes tais como estacionamento para a área comercial, regularização e, principalmente, insistir na criação de uma Administração própria para o Jardim Botânico independente da do Lago Sul.

Como empresária, se preocupa em demonstrar a sua insistente luta pelo empoderamento feminino, mas lutando pela consciência coletiva, expressada por ações para fortalecer as mulheres e desenvolver a equidade de gênero. Seguindo, com responsabilidade, os princípios de empoderamento das mulheres lançados pela ONU, em 2010, a fim de por em prática seus propósitos para um mundo melhor. São eles: (i) Estabelecer liderança corporativa sensível à igualdade de gênero, no mais alto nível; (ii) Tratar todas as mulheres e homens de forma justa no trabalho, respeitando e apoiando os direitos humanos e a não-discriminação; (iii) Garantir a saúde, segurança e bem-estar de todas as mulheres e homens que trabalham na empresa; (iv) Promover educação, capacitação e desenvolvimento profissional para as mulheres; (v) Apoiar empreendedorismo de mulheres e promover políticas de empoderamento das mulheres através das cadeias de suprimentos e marketing; (vi) Promover a igualdade de gênero através de iniciativas voltadas à comunidade e ao ativismo social; e (vii) Medir, documentar e publicar os progressos da empresa na promoção da igualdade de gênero.

Em 2018, foi agraciada com a Moção de Louvor por relevantes serviços prestados à comunidade do Distrito Federal em Sessão Solene em Comemoração ao Dia Nacional da Mulher, de autoria da Procuradora Especial da Mulher Deputada Celina Leão e da Vice-Procuradora Especial da Mulher Deputada Telma Rufino. Sente-se honrada em dizer que Moção é a proposição pela qual a Câmara Legislativa se manifesta para louvar pessoas da sociedade que contribuem com trabalhos relevantes em favor do Distrito Federal.

Bernardeth Martins é casada com Antônio Carlos Canabrava Abdala, mãe de três filhos Augusto César, Fernando e Débora; e avó de cinco netos, Giovanna, Arthur, Aurora, Nícolas e Daniel. Adora cantar, dançar e sorrir.
Preferência Política: Moderado
Religião: Católica, mas antes de tudo Cristã