Lidar com tempo de espera é tema de palestra sobre adoção

postado em: Notícias | 0
Lidar com tempo de espera é tema de palestra sobre adoção
 
 
 
Por Clarice Gulyas

Com o intuito de propor maior reflexão sobre o processo de adoção, a ong Aconchego (DF) realiza neste sábado (8/12), às 17h, palestra que tem como tema:”Tempo de espera: quem são e como vivem as crianças e os adolescentes cadastrados para adoção?”. O evento faz parte das atividades do programa Encontros sobre Adoção e é aberto à comunidade, no Colégio Leonardo da Vinci (703 Sul). Na ocasião, participam dos debates a psicóloga Eliana Carla Kobori e a pedagoga Patrícia Braga, da Secretaria de Educação do GDF e coordenadora pedagógica da Instituição de Acolhimento Nosso Lar. Crianças que forem acompanhar os pais terão atividades recreativas durante todo o evento.

 
Segundos dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), com base no Cadastro Nacional de Adoção (CNA), entre janeiro e novembro de 2011, houve apenas uma adoção no Distrito Federal (DF), e 361 em todo o Brasil. Já no mesmo período de 2012, esse número cresceu para 73 adoções no DF, e 1.102 no Brasil. De acordo com a Vara de Infância e Juventude do DF, há atualmente 54 crianças e 82 adolescentes cadastrados para adoção, e 416 famílias habilitadas no cadastro local.
 
Para Deusdedit Guimarães Rocha Filho, pai adotivo que há 15 anos participa do programa da ong Aconchego, a iniciativa é importante para incentivar adoções responsáveis, com base na desconstrução de perfis idealizados e conhecimento da realidade enfrentada pelas crianças nos abrigos.
 
“Não só esse, mas todos os eventos do programa Encontros sobre Adoção são importantes porque quando o pretendente à adoção resolve adotar, geralmente não tem informações suficientes e nem sabe ainda o perfil que deseja na criança ou jovem a ser adotado. Com esses encontros, o indivíduo ou o casal vai adquirindo conhecimento e informações, e pode se certificar de que é isso mesmo que quer. Os encontros são a porta de entrada para quem quer adotar”, afirma.
 
Também voluntário do Grupo de Apoio à Convivência Familiar e Comunitária (Aconchego), que este ano completa 15 anos de atuação, Deusdedit avalia que o tempo de espera atual para a adoção ainda é lento, chegando a ultrapassar o tempo de uma “gestação”, compara.
“Às vezes, a Justiça leva um tempo para fazer seu trabalho, que não corresponde às expectativas dos pretendentes. Um dos fatores que contribuem com essa demora, é o fato de a criança só poder ser adotada quando são esgotadas as possibilidades de convivência dela no seio familiar. Outro fator que faz com que os pretendentes à adoção e casais esperem por mais tempo, é também a preferência deles por bebês. Acho que as pessoas deveriam expandir a ideia de que é possível adotar crianças mais velhas, ensinar e educar da mesma forma que com um bebê. Eu mesmo adotei duas crianças, de 4 e 5 anos, que eram dois bebezões para mim”, incentiva.
 
O Programa acontece desde 1997, de janeiro a dezembro, sempre no segundo sábado do mês. O Aconchego já programa um novo calendário dos Encontros para 2013.
 
Serviço
Palestra “Tempo de espera: quem são e como vivem as crianças e os adolescentes cadastrados para adoção?”

Data: 8 de dezembro de 2012
Hora: 17h
Entrada: franca, sem necessidade de inscrição prévia
Local: Colégio Leonardo da Vinci (703 Sul)
Informações: (61) 3963 5049 / 8473 6363
www.aconchegodf.org.br

 
Assessoria de imprensa da Aconchego
Clarice Gulyas
(61) 8428 0719 / 8177 3832
gulyascomunicacao@gmail.com / claricegulyas@gmail.com
Feed